REDE EPALE – HISTÓRIAS PARA CONTAR “O andarilho dos afetos”

Alfabetizar é um retornar das letras à casa do afeto.

O andarilho marca a sua passada ritmada, a dificuldade em andar não a impede de vir semana após semana à oficina de alfabetização Letras Prá Vida. A sua participação na oficina é tão rica em histórias e lenga lengas, ditas de memória e escritas nas páginas do caderno, sessão após sessão. Sabe escrever, mas a sua vinda para a Oficina é antes demais um ato de resistência à rotina dos dias na sua atual casa, um lar de idosos. Sabe – diz – tratam-me bem, não tenho razão de queixa, são todos muito queridos no lar. Mas meus amores, os dias são todos iguais, as mesmas coisas feitas da mesma maneira, dia após dia, semana após semana, mês após mês, ano após ano. Vir aqui à oficina é arejar a cabeça, aprender coisas novas e é uma alegria para mim. Vocês são uns amores, fazem-me muito bem. A alfabetização também é um ato de resistência à rotina dos dias.

Porque não me esqueço do que aconteceu

Porque envelhecer deveria ser a arte de aprender a morrer, enfim a morte física faz parte do nosso percurso, aprender a lidar com a morte só é possível com muito amor.

Que lição tiro dessa experiência

Alfabetizar também é uma forma de resistência à burocratização dos dias

 

História contada por Vera Carvalho, animadora de processos de alfabetização na Oficina Letras Prá Vida

 

Please follow and like us:

Faça o primeiro comentário a "REDE EPALE – HISTÓRIAS PARA CONTAR “O andarilho dos afetos”"

Comentar

O seu endereço de email não será publicado.


*