Sáb. Ago 15th, 2020

jornalismo cidadão

Rede de Repórteres sociais

Centro Qualifica, o essencial é manter as pessoas ligadas.

3 min read

Carlos Ribeiro | Praça das Redes |17 de Março de 2020

Viagem rápida ao Centro Qualifica da Henriques Nogueira pela mão da Coordenadora Ana Miguel. Viagem a distância, como agora se impõe e uma abordagem totalmente informal e em tom de conversa. Como estão a correr as actividades e que desafios estão a ser enfrentados, eis matéria – prima viva que precisa de ser acompanhada hoje, nos próximos dias e até nas semanas que se avizinham.

A adaptação do funcionamento nas diversas áreas da educação-formação às circunstâncias especiais provocadas pelo COVID-19 constitui um desafio de monta para todos os adultos e jovens participantes e ainda para as equipas de intervenção.

ESTADO DE ESPÍRITO

Ninguém age como se estivesse de férias e nem pensar relegar para segundo plano as tarefas que vão sendo programadas. “Estamos a trabalhar!” afirma categoricamente Ana Miguel. “Adaptando-nos, é verdade, a novas ferramentas mas, em boa verdade, já praticávamos tudo aquilo que é essencial”.

Desde há muito tempo que utilizam meios de partilha de informação como a Nuvem e, o mail é o meio de comunicação mais usado pelos adultos que participam nas actividades.

Declaram estar interessados em ir mais longe e querem contactar com novas modalidades de comunicação e interacção.

NOVAS EXPERIÊNCIAS

“Amanhã vamos experimentar o TEAM para realizar uma reunião colectiva da Equipa a distância. É preciso um pouco de formação mas nada de muito complicado” adiantou a Coordenadora do Centro Qualifica de Torres Vedras.

Neste momento já estão a trabalhar com as diversas ferramentas, enviam e recebem mails, analisam portefólios, contactam os participantes do EFA B2, curso que integra jovens com grande facilidade de manuseamento dos meios electrónicos, através do WhatsApp.

Muita desta movimentação passa pela Nuvem e neste plano o destaque vai para a técnica que recebe as diversas comunicações e lança uma procura de potenciais tomadores do assunto. Desta forma promove o encontro entre a oferta e a procura de forma dinâmica.

NEM TODOS CAMPOS DE ACTUAÇÃO SÃO IGUAIS

“Na criação de Novos Grupos estas abordagens são mais complicadas, mas estamos a pensar no assunto e vamos adiar a sua entrada em funcionamento ” informou Ana Miguel.

Também no RVCC Pro, na formação complementar, terão que ser desenvolvidas estratégias para a implementar, desde logo porque a possibilidade de registo no SIGO não existe.

“Mas já estamos a planear uma sessão a ser dinamizada a partir de um VIDEO que uma formadora irá realizar filmando a sua sessão de formação e depois colocando online” adiantou.

ACTAS E MUITO MAIS

A título de exemplo, recentemente realizou-se uma reunião a distância e logo após o seu término os participantes tiveram oportunidade de receber uma proposta de acta e de a aprovar. Mais rápido não podia ser,

“Estamos a fazer caminho e cuidamos de apurar se nos grupos algum participante não tem acesso à Internet em casa e, em caso positivo, procuramos soluções e contamos com a colaboração de muito boa gente” concluiu .

Uma coisa é certa, nem sempre é a aprendizagem propriamente dita que é central. Ela deve e tem que acontecer, mas o essencial é manter as pessoas ligadas. É também essa a nobre da educação de adultos nesta fase difícil que estamos todos a viver.

Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Copyright © All rights reserved. | Newsphere by AF themes.
error

Enjoy this blog? Please spread the word :)