ACELERADOR | As partículas

Desde sempre que, no RVCC, as interações me interessam e até me intrigam. As interações entre as três componentes que estruturam a competência, os conhecimentos, as habilidades e as atitudes que, para produzirem o efeito desejado na ação, precisam de ser combinadas de forma adequada num processo agregador e criativo principalmente orientado para a eficácia.

Trata-se de um processo combinatório dinâmico, ou seja, realizado em contexto concreto e relacionado com a necessidade de agir. Desta forma a operação “demonstrar competência” é sempre um resultado que só pode ser evidenciado na ação.

Vem esta abordagem a propósito do Acelerador que aí vem e que podemos imaginar como um grande LHC, um acelerador de partículas, cuja intenção poderá ser provocar colisões positivas.

Se as partículas forem as componentes da competência e elas vierem a ser aceleradas, em processos combinatórios diversos e na ação então poderemos imaginar um NOVO MODELO para que as interações das “partículas” evidenciem a competência. A História de Vida e Balanço de Competências devidamente articulados dariam agora lugar a um grande ESPAÇO DE ACELERAÇÃO DAS COMPETÊNCIAS em contexto real.

Tratar-se-ia de produzir evidências, em processos ativos com capacidade para revelar exteriormente as combinações utilizadas, sendo o ponto de partida a base declarativa do “candidato”.

Se for nesta linha, ou nesta zona de investigação-ação, poderemos ir ao encontro das virtudes de um Acelerador que pode vir a revolucionarizar o RVCC em Portugal.

Declaração, Aceleração e Ação e que mil colisões floresçam!

Carlos Ribeiro, 26 de maio 2021

Foto destaque: Experimento Atlas, do LHC – Foto: Maximilien Brice/CERN

Please follow and like us:

1 thought on “ACELERADOR | As partículas

  1. Não sei de que acelerador falas a propósito do RVCC.
    É alguma medida nova ou é a continuidade do que se estava a fazer?
    Pelo que sei, um RVCC bem feito é o que tu dizes, não só permite revelar mas, produz, no processo de colisão de saberes, novas partículas que permitem, por exemplo, uma atitude fundamental que é a da auto-eficácia que vem das novas competências. Para além dos novos saberes traduzidos em conhecimentos e capacidades. É esta a virtude da colisão educativa entre os saberes que já havia e os novos produzidos pelo próprio ou em interacção com os parceiros.
    A propósito: aquele que se vê na foto, lá ao fundo, é o Zé Mariano Gago? É que ele esteve sempre em interacção com as partículas do CERN e estas da educação de Adultos que desejamos e se reconhece nestes processos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error

Enjoy this blog? Please spread the word :)